15 de jul de 2016

CONHEÇA QUEM VOCÊ ESTÁ TRATANDO



CONHEÇA QUEM VOCÊ ESTÁ TRATANDO




Em algum momento os profissionais da área de saúde irão perceber que não atendem patologias, mas sim, gente que as adquiriu.
Patologias podem ter os mesmos sintomas, mas as pessoas a sentem de maneira diferente, isto é, vão sofrer com mais ou menos intensidade, dependendo do ser que está acometido, depende da vida emocional, historicidade, gostos, sensibilidade, identidade cultural, vivência singular, redes de significados que fazem a diferença.
 O contato sincero, ético e empático com o paciente precede qualquer técnica científica, é um elemento crucial para o sucesso de qualquer prática de saúde.
Estes elementos são fundamentais para que o profissional realize um programa de tratamento mais eficiente e de recuperação mais rápida..
Eis a pergunta. Tratamentos são singulares?
Deveriam e teriam que ser sempre, respeitando o ser que se encontra a nossa frente, com uma anamnese mais humana junto com a aquela que estamos acostumados a fazer.
Existem artigos que falam sobre somatização, psicosomática, humanização, o emocional e o corpo que ajudam a ter uma  visão mais ampla .
Cito aqui um bem interessante, http://www.physion.com.br/blog/18-dores-no-corpo-que-estao-diretamente-ligadas-ao-seu-estado-emocional para quem quiser se interar mais sobre o assunto.
Drª Jane Difini Kopzinski





4 de jul de 2016

Dor irradiada e coluna vertebral


Dor irradiada e coluna vertebral
 

Todo o indivíduo com queixa de dor irradiada para pontos distantes da coluna deveria ter sua coluna primeiramente avaliada.

O disco vertebral emite dor para regiões musculares distantes da coluna, dando-nos a falsa impressão de se tratar de uma dor muscular.

  Tais pontos dolorosos irradiados são muitas vezes confundidos com dores musculares, fibromialgia, tendinites, bursites e distensões.

            O desvio de uma ou mais vértebras apresenta-se de várias maneiras:

-  Leve: sem dor ou sentira horas ou dias após, quando a pressão sobre a raiz nervosa aumentar pelo movimento dos músculos;

- Forte; dor por algum tempo (minutos, horas, dias ou semanas), e depois passará, porque o corpo vai compensar e se adaptar ao desvio;

- Muito forte:  dor intensa e  bloqueio dos movimentos ou adotar uma posição antálgica

          - Crônico  (meses, anos ou décadas), o corpo se adapta e só ocorrerão sintomas quando as estruturas em degeneração, forem exigidas por muito esforço ou muita tensão emocional.

            A dor da coluna pode se manifestar de forma variada e, por isso,  muitas vezes não é reconhecida pelo indivíduo, ou não é dada a ela a devida importância.

            É vital salientarmos que os primeiros sinais de dor devem ser imediatamente tratados, para não se tornarem crônicos.
            Em todos os casos a Quiropraxia (ajustes das vértebras) e Fisioterapia (exercícios , alongamentos e terapia manual) e Filosofia Clínica ( equilíbrio emocional) auxiliam no tratamento, pois juntas previnem, tratam e ajudam na qualidade de vida.
Drª Jane Difini Kopzinski