10 de abr de 2016

A singularidade do ser

A singularidade do ser na reabilitação

O ser humano já por si só é singular neste universo.
Desde a sua concepção até a morte é único no universo.
A historicidade, a sua concepção própria de viver jamis será igual a de outra pessoa.
Partindo deste principio as patologias desenvolvidas em seu corpo também são singulares.
Os nomes dados a essas podem ser iguais , mas em cada corpo ela terá uma forma diferente de pronunciar e desenvolver.
Ao tratarmos uma patologia, o olhar do terapeuta deve ser direcionado ao ser que esta a sua frente.
Ele possui uma história particular de vida associada a sua patologia.
Podemos auxiliar no tratamento com nossos conhecimentos específicos, mas de nada adianta se este ser a nossa frente não se conhecer o suficiente para se restabelecer na cura.
O diálogo e a atenção personalizada aos nossos pacientes fazem a diferença na reabilitação do mesmo.
Não acredito em "receita de bolo" protocolos prontos de reabilitação e em padronização.
Quem nos dá o caminho para planejar o passo a passo do tratamento a ser realizado é o próprio paciente.
Ele nos dá sinais e indica se estamos no caminho certo enquanto reabilitadores.
Fascinante o trabalho realizado com respeito a singularidade do ser.
Drª Jane Difini Kopzinski