23 de out de 2011

Síndrome do impacto é o nome dado à doença causada pelo atrito que ocorre nos tendões que movimentam o ombro. Este atrito ocorre entre dois ossos: o úmero (braço) e o acrômio (ponta do ombro) resultante de uma pressão na musculatura do ombro (manguito rotador) exercida por parte da escápula quando o braço é elevado.
A dor pode ser por uma inflamação da bursa (bursite) que cobre o manguito rotador ou uma tendinite do próprio manguito. Algumas vezes, uma ruptura parcial do manguito pode ser a causa da dor.
 O uso excessivo do membro superior em elevação, durante determinadas atividades, favorece o surgimento da síndrome do impacto.
Fases evolutivas:
Fase I:  Edema e hemorragia reversíveis. Ocorrem em pacientes jovens devido ao excesso de uso do MS no esporte ou trabalho.
 Fase II: Fibrose e tendinite do manguito rotador. Ocorrem de maneira crônica em pacientes com idade entre 25 e 45 anos.
 Fase III: Rotura completa do manguito com alterações ósseasA síndrome do impacto normalmente causa dor e inchaço na parte frontal do ombro. Pode haver dor e rigidez na elevação do braço como também ao abaixar o braço após este estar elevado.
Quando há progressão do quadro, pode ocorrer dor à noite, perda de força e de movimentos, dificuldade de colocar o braço atrás do corpo, para vestir-se.
 Em casos avançados, a perda de movimento pode progredir para um “ombro congelado”.  
      Nas bursites agudas, o ombro pode estar com dor intensa. Todos os movimentos podem estar limitados e doloridos.
      Dentre as modalidades de tratamento, o fisioterápico é dos mais recomendados.
                                                   Jane Difini Kopzinski
                                     Fisioterapeuta- Quripraxista- Filósofa Clínica

Nenhum comentário:

Postar um comentário